Musicoterapia - Parte I

Os sons e melodias são utilizados em SPAS como coadjuvantes de terapias para criar um clima, harmonizar ambientes, facilitar o processo de relaxamento, conduzir a um desligamento de sons externos, proporcionando a expressão através das melodias um bem estar físico, mental e espiritual. Acreditamos que a música produz efeitos nos estados de ânimo das pessoas. Produzindo reações no nosso corpo físico, mental e espiritual, dependendo do tipo de música e do volume do som, logo vamos sentindo-nos irritados, com dores de cabeça, alguns relatam náuseas. O inverso também é verdadeiro, música suave e melodiosa, leva ao relaxamento, a alegria, ao bem-estar, paz e entrega.

Existem sons e músicas para relaxar, dormir, para bebês, para massagens, para terapias de bioenergia, Reiki, imposição de mãos, para limpar e energizar ambientes. Existem CDs que contém o som das sete notas musicais, uma para cada Chakra. Apenas silenciar e ouvir os sons que os sinos emitem, já é muito relaxante e induz a pessoa a um estado de paz e meditação. São sons profundos, envolventes e terapêuticos.



Esta terapia já vem sendo utilizada com sucesso em muitos países como meio de cura de várias doenças. Até mesmo por renomados médicos, clínicas e, mais recentemente, como um recurso dentro da Musicoterapia, sons que penetram no corpo e vão até à alma, proporcionando imediata sensação de paz, harmonia e equilíbrio. Existem alguns SPAS, que de uma forma mais holística, em suas terapias e crenças trabalham com mestres, que são seres iluminados que viveram na Terra, ascensionaram aos Planos Divinos e zelam pela evolução planetária.

De acordo com a literatura, cada Mestre Ascenso, Arcanjo ou Ser Cósmico possui uma música clássica que o identifica e pode nos colocar em sua sintonia. Estas músicas possuem as chamadas “notas-chave”, ou códigos que atuam a níveis interiores e podem agir positivamente ajudando na elevação da consciência, trazendo paz, bem-estar e harmonia. Estas músicas também possuem efeitos terapêuticos e podem ser usadas durante as massagens como musicoterapia. Acredita-se que as músicas dos mestres e arcanjos podem proporcionar uma mudança positiva no Ser e uma maior sintonia com estes sons.


Cada pessoa possui sua identidade sonora, musical, ou seja suas preferências musicais, que é formada de modo diferenciado em cada um: sons que os pais ouviam durante a gestação, sons ouvidos na infância, adolescência, na televisão, sons da natureza, sons new age, entre muitos outros. Muito utilizadas em cabines de SPA, para criar um clima, acalmar, as músicas New Age, também conhecida como música da Nova Era, é um gênero musical caracterizado por uma melodia suave, sons instrumentais (harpa, teclado, flauta, violão, órgão) e vozes etéreas. Este gênero musical também utiliza sons da natureza em suas músicas, pássaros, vento, chuva cascatas e mar. A musica suave, é adotada durante massagens e outras técnicas de relaxamento, despertando sentimentos de harmonia, paz interior e amor.



A cantora irlandesa Enya é um dos principais expoentes da música New Age mundial. Podemos citar como outros importantes músicos e grupos deste estilo musical: Nana Mouscuri, Yanni, William Jackson, Secret Garden, Enigma, Enam, Sarah Brightman, Andréa Boccieli, Adiemus, Angels & Airwaves, Singh Kaur, Marcomé, Valensia, Kitaro, Karunesh, Deep Forest, Gregorian, Libera Voices, Lorena McKennitt. As músicas do médico e músico Steven Halpern, com suas melodias anti-estressantes e anti-frenéticas, influenciam na parte psicológica do ser. No Brasil, destacam-se os músicos Corciolli, Marcus Viana, Áurio Corrá e Tomaz Lima.


A musicoterapia por trabalhar como um canalizador e libertador de energia, através de sons, melodias e ritmos, cada dia mais, se faz presente em espaços de SPAS, onde os sons, a liberação auditiva e mesmo vocal (através do canto), as harmonias usadas, fazem com que a pessoa abra seus canais de comunicação deixando assim o consciente embalar-se pelos sons, provocando uma resposta do emocional. O trabalho do musicoterapeuta nesse momento é fazer com que a pessoa em questão ouça, entre na música, canalize e libere suas emoções de modo que se sinta aliviada e revigorada após a sessão. Muitas vezes ao final de um atendimento em cabine, as pessoas nos relatam terem visto cores, e que foram mudando ou intensificando-se à medida que os sons que eram ouvidos. Deduz-se então que a onda sonora viaja junto com as ondas luminosas, por isso são captadas e nos transmitem em relatos de sons e imagens.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square