Terapias Bioenergéticas em SPA's: corpo, mente e espírito.


Conta a História que um físico pesquisador do equilíbrio físico dos corpos materiais e suas forças energéticas, sem resposta para algumas questões sobre o tema, enveredou para o estudo e o aprofundamento da biologia humana, anatomia e fisiologia. Quanto mais estudava, mais questões sobre a busca do equilíbrio biofísico surgiam e, a cada dia, mais se afastava das respostas e soluções para este dito equilíbrio. Exaurido, desanimado e com sinais de insanidade, buscou um monge budista, que estava de passagem por sua cidade e já chamava atenção pela paz e o equilíbrio postural que contagiava a todos, curando muitos através da presença e de diálogos. Foi procurá-lo e em resposta a seus questionamentos ouviu o seguinte: “Amigo, conhecer o corpo, este nosso veículo físico, é muito importante, até para melhor podermos cuidá-lo, mas desconhecer a sua ‘mente’, que o habita, é estudar o homem numa só dimensão e não em sua totalidade, e não podemos desconsiderar ainda a ‘energia sutil’ que flui entre esta ‘mente’ e o Espírito”.

Realmente, quando se fala em terapias de equilíbrio bioenergético, temos que considerar o ser como um todo, mente, corpo e espírito, e, através de terapias, da meditação e de outras buscas, afinizar, de forma que a energia sutil flua em sintonia, harmonizando todas estas dimensões.

Cada vez mais se ouve falar sobre a eficiência das terapias bioenergéticas, Reiki, Johrei, reflexologia, acupuntura, cromoterapia, cristais, entre outras. Todas elas, com muito poder e força, trabalham com uma mesma energia, ou seja, a bioenergia ou energia vital, que estrutura, permeia e mantém a vida no corpo físico, mental e espiritual. A mesma energia de que, quando morremos, somente o que permanece é a nossa dimensão mental/espiritual. Se permanece, deveria ser a mais importante, a mais passí­vel de cuidados, mas o que realmente ocorre com a maioria dos seres humanos é passarem maior tempo de sua existência cuidando, envolvendo-se e apavora­dos com seu corpo físico e o processo de envelhecer.

Para os terapeutas holísticos, quando uma pessoa chega ao seu gabine­te, exaurida, estressada, com dores por todo o corpo, com medicações para tudo, como verdadeiras farmácias ambulantes, a sua primeira tarefa é reco­nectá-los de forma integral com todas as suas dimensões, e, é incrível, já na primeira sessão, saem felizes, sonolentos, aliviados, sorrindo, leves, até abertos a uma “receitinha” mais natural e a uma conversa mais espiritual. É assim que funcionam as terapias bioenergéticas, tão procuradas e que são o carro-chefe, entre as terapias em SPAs.

Existem teorias e linhas de trabalhos bioenergéticos que não utilizam a terceira opção, “Espiritual”, aceitam e dizem trabalhar somente com as energias corporal e mental. Na verdade, são conceitos ou definições que, por necessidades didáticas, facilitam a compreensão. Pois o lado ­espiritual está contido no mental, enfim, não será por discussões de conceitos e teo­rias que vamos deixar de utilizar as energias psicobiofísicas nos nossos SPAs.

Certa vez, nos deixamos levar, numa recepção de um SPA, por explica­ções sobre terapias, energia sutil e bioenergia, com um médico bastante cético, e levemente irônico, e percebia-se isso pelo teor e a forma de seus questionamentos. No afã de mais e melhor informar, estabeleceu-se um diálogo de quase discussão, sem vencidos ou vencedores, apenas de uma perda de tempo e energia. Após quase uma hora desta inútil troca de infor­mações, ele concordou em submeter-se a uma terapia com imposição de mãos de luz, cromoterapia, cristais. Enfim, tudo aquilo em que ele não acreditava que funcionasse, exigindo que não fosse tocado em seu corpo durante as terapias.

Uma hora depois, o terapeuta voltou e disse que estava com pena de chamar o médico, pois ele parecia dormir profundamente. Ao que o médico logo replicou: “Eu não estava dormindo e vi que saíste da sala e vim atrás. Coloquem este procedimento em minha conta no hotel e marquem outro atendimento para amanhã”, e saiu sem comentar nada. No outro dia, voltou pontualmente, nós o olhamos curiosos, mas discrição faz parte de nosso trabalho. Ele passou para a cabine e, ao sair, marcou para os próximos três dias a mesma terapia com a mesma pessoa. No terceiro dia, o médico já entrou mais descontraído e com um sorrisinho enigmático. Sorriso esse que foi interpretado por um colega como com um quê de “maquiavélico”.

Bem, tivemos que pacientemente aguardar seu último dia de SPA. Entrou silencioso. Não precisamos dizer que, na sua saída, uma comissão de frente, discreta mas bem formada, por colegas curiosos e ansiosos, estava à espera por sua manifestação. Ele saiu sério, meio sonolento, dirigiu-se à recepção e perguntou: “Onde posso deixar registrado e bem claro para todos que minha enxaqueca sumiu juntamente com minha insônia de mais de dez anos, e faz três dias que durmo sem medicação. O que vocês fizeram eu não sei. Mas, agora, pergunto: o que faço para retornar à vida normal, sem ter que voltar a tantos remédios para insônia e enxaqueca?”. Nós o olháva­mos, mudos, as palavras sumiram. Então, ele rapidamente questionou: “Agora serei um dependente de vocês?”. Nesse momento, fomos salvos pelo terapeuta, que o tinha atendido todos os dias: “Sim, doutor, o senhor vai depender e muito, e de muita energia. Mas são procedimentos que podem ser facilmente adotados pelo senhor. Serão apenas 15 minutos de luz solar por dia, enquanto silencia a mente e se conecta com sua própria essência, se equilibra, ilumina e pronto: o efeito de cura persistirá”. “Mas eu nem sei se tenho e acredito nesta tal essência, como posso iluminá-la e me conectar com ela? Se ao menos existisse um botão de liga e desliga, ou cápsulas, com indicação de conexão...” , disse o médico.

Ficamos olhando para este senhor, atônitos. Realmente, muitas ­vezes estamos curados, mas os conceitos e preconceitos nos cegam. É este ­campo vibracional, sutil, que envolve o corpo físico, e nele tudo somatiza. Emoções e sentimentos de medos, raivas, ansiedades, dores, são estas energias que adoecem o corpo físico, desequilibram a mente com pensamentos ­negativos e desconectam com a “Fonte”, o “Espírito” (pela falta de fé e confiança, conhecimento e entrega). É neste espaço energético que o terapeuta num SPA vai atuar, como facilitador de reconexões quânticas, sim, porque nunca um profissional poderá dizer eu curei. É preciso ter muito cuidado com o perigo de anunciar em SPAs, ou outros espaços, que terapeutas realizam “curas energéticas”. Talvez resida nestas afirmações o motivo pelo qual, hoje, muitas pessoas olham com certo medo ou descaso para terapias utilizando a bioenergia. Portanto, seriedade, responsabilidade, ­humildade e consciência de que somos somente instrumentos vibracionais, que amorosamente auxiliamos as pessoas a encontrarem o seu equilíbrio físico, mental e espiritual, que esteve todo tempo dentro delas, na sua essência.

Voltarei a falar dela muitas vezes ao longo dos próximos temas, visto que, em SPAs, a bioenergia está presente em tudo, pois trabalha fundamentalmente com a energia da vida, mas considero de primordial importância o cuidado e o discernimento sobre o que foi exposto.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square